Nuno Fazenda: “A Assembleia, quando eu era vereador, resumia-se a um triste espetáculo onde quem es­tava no poder controlava”

Nuno Fazenda é o candidato do PSD/MPT à Assembleia Municipal de Almeirim. Entrevista publicada no jornal O Almeirinense de 15 de Agosto:

O Nuno Fazenda foi já vereador, agora candi­data-se à Assembleia Municipal. Como é que, enquanto vereador, olhava para este órgão?

No meu período de vereador, e tendo por base o que presenciava, via este órgão com um misto de sentimentos e opiniões. Tinha-lhe todo o respei­to que o órgão merece, dada a função de fisca­lizador do executivo, ao mesmo tempo olhava-o com tristeza e alguma vergonha pela forma como funcionava. Quem assistia às Assembleias perce­be o que refiro. Existia um total desrespeito pela oposição. A título de exemplo, documentação entregue tardiamente, documentos incompletos, faltando páginas, nomeadamente nos orçamen­tos e contas. As intervenções da oposição nunca eram vistas com bons olhos pela Mesa, sendo os tempos e as alegações constantemente criticadas. No fundo, a Assembleia, quando eu era vereador, resumia-se a um triste espetáculo onde quem es­tava no poder controlava, mandava, desmandava e a voz da oposição nada valia.

Como classifica a atuação do Partido Socialis­ta, neste órgão onde tem tido maioria absoluta em conjunto com a maioria no executivo?

A sua pergunta, de certa forma, já tem implícita a resposta. Durante décadas, tem sido a mesma força política a comandar os destinos de Almei­rim e com maioria na Assembleia, apresentando, como tal, uma atuação de total soberania. Para os membros da Assembleia do PS nem tão pouco interessava se existiam documentos para analisar. Claramente se via que a grande maioria não esta­va preparada nem conhecedora das matérias que estavam a ser discutidas. Apenas estava lá para dizer que sim. Sempre que algum discordou, foi posto à margem e acabou por ser afastado futu­ramente.

Que linha pretende adotar enquanto membro da Assembleia Municipal de Almeirim e que alterações, dentro das limitações, gostaria de implementar?

Pretendo que a Assembleia funcione conforme manda a Lei, com plenos direitos a todos os seus representantes, equidade e total respeito pelas opiniões individuais e de cada bancada. Que a documentação seja entregue atempadamente para análise de todos, e aferir para que esteja completa.

Uma Assembleia deve ser o mais participativa possível, pois dum confronto de ideias, realizado de forma sã e ordeira, podem sair soluções para o bom desenvolvimento do Concelho. O público terá sempre direito à palavra

No plano pessoal, sente que será também uma avaliação grande para si? Depois de MICA agora o PSD e o Movimento Inovar Almeirim?

De forma alguma. A minha participação política nada tem de pessoal. Apenas tenho pretendido dar um contributo para o melhor do Concelho. Acre­dito que um Concelho não se desenvolve com práticas de gestão corrente, mas sim com projetos estruturantes orientados para o futuro. Foi com esta premissa que abracei os anteriores projetos e é assim que estou no INOVAR ALMEIRIM, com candidatos que, apesar de maioritariamente jovens, são experientes, com capacidade de ini­ciativa e têm a mesma visão. Num Concelho que maioritariamente vota, como diz, os “velhotes” na “mãozinha” porque assim o fizeram toda a vida, é necessário alguém que apresente ideias diferen­tes, que aponte noutro rumo. A minha avaliação da eleição anterior vejo-a refletida na realização de obras para as quais me debati e apresentei em programa, e que foram criticadas, como a recupe­ração das escolas velhas e do hospital. Debato-me pela criação de emprego, mais apoio aos idosos e melhor escola. Eu pretendi e pretendo olhar as coisas com uma visão de futuro, e a gestão que aproveite as ideias, as ponha em prática, e a mi­nha avaliação está feita.

2017@almeirim2017.com'

Fundador do Almeirim 2013 e Almeirim 2017. Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Responsável de comunicação de uma federação desportiva. Colabora ainda com meios de comunicação ligados à politica nacional, ao ténis e à tauromaquia.

Share this Post[?]
        


Leave a Reply