António Figueiras: “Há inércia e pouca iniciativa por parte da governação PS na Freguesia”

António Figueiras é o candidato da coligação CDU (PCP/PEV) à Junta de Freguesia de Fazendas de Almeirim. Entrevista publicada no jornal O Almeirinense de 15 de Setembro:

O que o levou a aceitar o convite da CDU para ser candidato à Junta de Freguesia de Fazendas de Almeirim?

Ao longo dos anos tenho sido uma pessoa disponível para participar ativamente na vida pública seja em defesa dos interesses dos trabalhadores ou das populações. Estou na vida sindical, estou nas coletividades, nas comissões de festas da minha terra, ou seja, a minha vida tem sido dedicada a contribuir para que todos tenhamos uma vida melhor. Não poderia nunca deixar de aceitar o convite do meu partido para este desafio no âmbito da CDU.

Que análise faz ao trabalho do PS nestes quatro anos?

O trabalho desenvolvido por esta maioria do PS na freguesia das Fazendas de Almeirim deixa muito a desejar, ficou aquém do que foi prometido à população. A limpeza da vila e a sinalização são deficientes, há falta de pessoal efetivo dedicado a estas tarefas, a freguesia é bastante extensa e dispersa. Também a utilização do Centro Cultural é pouco dinâmica. Há inércia e pouca iniciativa por parte da governação PS na Freguesia, estão instalados com maioria absoluta e pouco fazem por si, limitam-se a cumprir o papel que a Câmara lhes reserva.

Se tivesse sido eleito, o que faria de diferente?

Teria um papel diferente junto do executivo municipal, mais reivindicativo e menos subserviente, penso que a população da freguesia teria muito a ganhar com isso. Depreende-se da minha resposta anterior, que haveria recrutamento das pessoas necessárias para que as ruas, as paragens dos autocarros e os espaços verdes tivessem um aspeto mais cuidado.

Que propostas tem a CDU para a freguesia?

A CDU tem propostas e um estilo de trabalho diferente da atual maioria, para a freguesia. Defendemos a descentralização do atendimento ao Paço dos Negros e Marianos, mesmo das próprias sessões da Assembleia de Freguesia, ou seja uma maior proximidade com as populações, que permita um poder local mais participativo, que está na génese da existência das próprias freguesias. Propostas concretas, construção do parque urbano, requalificação do Paço Real da Ribeira de Muge e da Barragem dos Gagos e dos equipamentos de lazer da Herdade dos Gagos (Piscina, Circuito de Manutenção e Percursos Pedestres), melhorar a drenagem nas ruas de Paço dos Negros, são algumas delas. Apoio às coletividades da freguesia e ao centro de dia das Fazendas, será outra preocupação da CDU.

Defende que a junta devia ter mais competências e recursos financeiros? O que faria com esses recursos financeiros?

Defendo que a junta deverá ter as competências que a lei lhe permite e os recursos necessários. Mais importante do que ter mais competências e recursos, será melhorar e desenvolver as que já estão contratadas com a Câmara. No entanto penso que poderia haver maior descentralização em áreas como a ação social, cultura, tempos livres e desporto. Também na área da proteção civil. Obviamente os recursos financeiros seriam utilizados com rigor e transparência na concretização das competências que referi antes.

Caso seja eleito Presidente de Junta, qual a primeira decisão?

Entendo que seria fazer demagogia da minha parte indicar realizações sem avaliar a situação financeira da junta, lembro que estamos em final de ano. O mais sensato será estudar o próximo orçamento para 2018, em conjunto com o Presidente da Câmara, discutir os contratos programa e, então sim, em conjunto com as populações, definir as prioridades da minha ação e as da Junta.

2017@almeirim2017.com'

Fundador do Almeirim 2013 e Almeirim 2017. Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Responsável de comunicação de uma federação desportiva. Colabora ainda com meios de comunicação ligados à politica nacional, ao ténis e à tauromaquia.

Share this Post[?]
        


Leave a Reply