Serviço Social versos Voluntariado

O Serviço Social, tendo como princípio os Direitos Humanos, a defesa da Liberdade e Igualdade, da Justiça Social, da Cidadania e do Respeito Moral pela pessoa, deve promover a mudança social, a resolução dos problemas nas relações humanas e o reforço da emancipação das pessoas pela promoção do bem-estar.

Se atentarmos neste princípio e se olharmos à nossa volta, o que vemos…? Técnicos credenciados, cheios de conhecimentos e vontade, (aliás, não é por acaso que os nossos técnicos são reconhecidos no estrangeiro), desmotivados, com poucas condições, ou até sem trabalho, em muitos casos.

E todos sabemos da falta que fazem os Assistentes Sociais ou Técnicos de Ação Social!

Então como suprir esta falta?

É neste contexto que aparecem os voluntários; Que o estado e algumas instituições incentivam esta “profissão”; E estes “profissionais” (que têm todo o meu respeito e consideração), em muitos casos, com muito boa vontade, mas sem preparação adequada, substituem e ocupam lugares destinados a técnicos da área, com a agravante de que alimentam uma expectativa, legítima, de poder vir a ocupar “esse lugar vago”… Estará isto bem?

Nós, os que fazemos voluntariado, porque temos disponibilidade e agimos com carinho, com coração, será que agimos com a razão? Será que fazemos bem? Na minha opinião, nem sempre… Não basta ser-se “bonzinho”… Nós sabemos! Os que têm responsabilidades sociais também sabem! Mas continuam a incentivar…

Claro que há casos e casos, senão vejamos: Voluntariado numa Universidade Sénior, no geral não tem qualquer situação menos boa ou desvantajosa! Na maioria dos casos até, as matérias são ministradas por professores, aposentados ou não, portanto pessoas competentes, e aos alunos não é exigido aproveitamento para exame.

Voluntariado pontual em atividades desportivas e festividades lúdicas e recreativas, também não…

Voluntariado para combater e ajudar os que vivem na solidão, é quase sempre de louvar…

Mas para Instituições que têm grandes responsabilidades perante a sociedade e perante o ser humano em particular, não podem nem devem pactuar com estas situações!

Já pensámos quais as repercussões físicas e mentais para uma criança e jovem em plena formação, quando, por exemplo no futebol, é treinada por “boas vontades” em detrimento de “técnicas e conhecimentos”?

Na Instituição onde hoje, com muito orgulho, tenho responsabilidades de gestão, atrever-me-ia a candidatar-me como voluntário para tomar conta de uma sala onde estão patologias diferentes e específicas? Não!

O seu a seu dono. Esse lugar é para Técnicos e Professores.

O estado e a tutela, devem assumir as suas responsabilidades. Aos nossos jovens devem ser dadas as oportunidades para ressarcirem a sociedade do investimento que lhes foi proporcionado. Com reconhecimento, com estabilidade, com o sonho concretizado, “o mundo pula e avança…” como diria o poeta.

josecarlossilva@almeirim2017.com'

É presidente do CRIAL e do Orfeão de Almeirim, bem como maestro do Coro da Universidade Sénior de Almeirim. Foi vereador da Câmara Municipal de Almeirim e candidato à Junta de Freguesia de Almeirim em 2013, sendo actualmente membro da Assembleia de Freguesia. Foi ainda um dos membros fundadores do Grupo Sopa da Pedra.

Share this Post[?]
        


Leave a Reply